Top 5 tretas domésticas

 Texto de Roberta Garattoni*

Algumas partes da casa têm, por natureza, potencial pra dar merda problema quando menos se espera. Se você vai morar sozinho em uma casa ou apê antigos, vale fazer uma revisão inicial para detectar de cara o que está em vias de estragar. Se você já mora nesse lugar há tempos e nunca rolou nada, também é bom dar uma olhada – você pode estar dando sopa pro azar.

1) Eletricidade na veia
A lista de possíveis problemas é longa: derreter a instalação do chuveiro, pegar fogo na caixa de luz, queimar lâmpadas com frequência, levar choque na torneira. Tomar banho de chinelo de borracha não vai resolver e o perigo é grande. Peça para um eletricista fazer uma revisão. Pode ser que o fio da instalação original seja muito fraco para aquele chuveiro poderoso que você inventou de colocar, por exemplo, e isso pode causar um acidente sério.

2) Entrando pelo cano
Enfrentar alagamentos dentro de casa é impensável em época de racionamento de água, certo? Em casas antigas, pode haver infiltrações e, muitas vezes, as torneiras, sifões e canos em geral são originais do projeto, lá de “mil novecentos e bolinha”, apodrecendo em silêncio. Ralos entupidos também não devem ser ignorados e até o tal do “courinho”, que fica dentro da torneira, pode ser uma treta se estiver velho. Um especialista pode checar a iminência de um dilúvio doméstico.

3) Cárcere privado
Trincos e fechaduras velhos são um prato cheio para dor de cabeça. Pode ser uma boa trocar por novinhos em folha e evitar uma eventual prisão no banheiro ou mesmo ficar com a chave emperrada na porta de entrada da casa.

4) Poltergeist cerâmico
Isso é mais raro, porém mais assustador do que todos os itens anteriores. Depois de vários anos, pode ser que azulejos ou pisos frios se manifestem espontaneamente, estourando em pedaços de uma hora pra outra. Parece um fenômeno paranormal, mas é apenas uma reação à pressão e grandes variações de temperatura (e outras coisas que não sei explicar). Nesse caso, a prevenção é manter a saúde mental em dia para não sair correndo e falando sobre fim do mundo quando isso acontecer na sua casa.

5) Faca na caveira
Seja para fazer uma revisão preventiva ou para bancar inúmeros reparos ao longo do tempo, você vai gastar uma grana razoável e imprevisível. Se sua casa for alugada, lembre-se sempre de informar o proprietário sobre a necessidade de reparos estruturais, que devem ser reembolsados. Para não ficar na dependência das agendas de profissionais avulsos, uma ideia é contratar um seguro residencial, daqueles disponíveis junto com seguro de carro, cartão de crédito, etc, e saber que pode contar com uma solução no mesmo dia para uma série de contratempos – como os três alagamentos e quatro princípios de incêndios que enfrentei em poucos anos de vôo solo!

*Roberta Garattoni, tem 30 anos, é RP e mora em São Paulo.