7 receitas caseiras para economizar dinheiro em casa

Removedor de poeira
Basta diluir amaciante de roupas em água e aplicar com um pano macio – e que não solte fiapos. Veja nesse link outras coisas que amaciante faz por você.

Limpa vidro
Em um frasco de spray, misture 1 copo de álcool isopropílico, 1 copo de água e uma colher (de sopa) de vinagre branco.

028

Parede de quadro-negro
Se você misturar pigmento preto em tinta branca fosca já consegue ter esse efeito. Nesse post aqui te ensinamos os passos.

Removedor de amassados na roupa
Junte 1/4 de xícara de vinagre, 1/4 de xícara de água e três colheres (de sopa) de amaciante líquido em um frasco que tenha spray. Borrife e pronto. Nesse link a gente te ensina a passar roupas sem ter ferro!

Removedor de manchas
Também em um frasco de spray, adicione 1 parte de água oxigenada, 1 parte de bicarbonato de sódio e duas partes de água normal.

Removedor de maquiagem (para os olhos)
Misture 1 colher de chá de óleo de coco, 1/2 colher de shampoo infantil (que não irrite os olhos) e água.

Limpador de carros
Com lenço umedecido (esses para bebês) você tira sujeiras mais urgentes, como coco de pombo. Aqui tem uma lista com outras 18 utilidades de baby wipes.

Perdi a comanda da balada. Devo pagar a multa?

Você resolveu que a vida tá dura demais e foi sair com os amigos para um bar ou para uma balada. E aí é tudo só alegria!

…Até que você perde a sua comanda!

E você entra em pânico pois geralmente elas vem com um aviso escrito algo tipo assim: “no caso de perda ou extravio sujeito a multa de X reais”. Mas esse aviso é totalmente ilegal e abusivo perante o direito do consumidor, sabia?

É responsabilidade do estabelecimento manter outro tipo de controle de consumação do cliente além da comanda. Essa responsabilidade é exclusiva do estabelecimento e jamais poderá ser repassada ao cliente – caso ocorra, caracteriza prática abusiva. Os estabelecimentos alegam que a tal “multa” é só pra assustar um pouco o cliente e evitar que ele jogue a comanda no lixo, por exemplo. Se o dono do bar que você estiver argumentar com isso, ele está partindo do princípio de que você está agindo de má-fé e ele não possui provas do que está dizendo.

A prática é considerada ilegal e abusiva pelo Código de Defesa do Consumidor (art. 39, V e art. 51, IV), pois não existe lei que obrigue quem perdeu a comanda a pagar uma quantia a título de multa ou taxa . Isso é pura extorsão! Não há também nenhuma lei que obrigue o consumidor a controlar o que consome – afinal, o estabelecimento comercial não pode transferir ao consumidor a responsabilidade pelo controle de suas vendas.

O consumidor deverá pagar apenas pelo que foi consumido.

Mas o que fazer se você perdeu a comanda e a casa não tem um controle sobre o que foi vendido? Não tenha vergonha de exigir seus direitos.

Você tem duas alternativas:

– Chame algumas testemunhas (que não possuam nenhum vínculo pessoal com você), pague o valor cobrado pelo estabelecimento e solicite uma nota fiscal pelo valor pago. E, no dia seguinte, procure um advogado para ajuizar uma ação e reaver o dobro do que você pagou indevidamente – você está amparado pelo art. 42 do Código de Defesa do Consumidor.

– Coloque-se a disposição para pagar aquilo que você consumiu e caso haja recusa do estabelecimento chame a polícia e registre um boletim de ocorrência pelos crimes de constrangimento ilegal, já que você está sendo constrangido a fazer algo que a lei não obriga (conforme art. 146 do Código Penal), e também está sendo impedido de deixar o estabelecimento, o que caracteriza cárcere privado (conforme art. 148, também do Código Penal).

(fonte: Jéssica Barbieri Fernandes no blog da Resina & Marcon Advogados)

O contrato de aluguel acabou? Confira essas 7 dicas do que fazer

Texto de Roberta Garattoni*

Sair da casa dos pais envolve prazeres como encontrar aquele apê que tem a sua cara, deixá-lo recheado com móveis escolhidos a dedo e paredes pintadas como lousa para as visitas deixarem recados e obras de arte amadoras. Mas, como a vida adulta não é só farra, morar sozinho inclui muita bateção de perna para descobrir o melhor negócio com um aluguel que caiba no seu bolso. Depois disso, o tempo vai passando e, enquanto você acha que encontrou o ponto de equilíbrio de todas as despesas, nem percebe que o final dos 30 meses de contrato padrão de aluguel se aproxima cada vez mais, sorrateiramente.

Após dois anos e meio, é possível que você tenha que encarar um desafio ainda maior do que a saída do ninho materno. Um contrato de aluguel vencido corre indefinidamente até que locador ou locatário se manifestem sobre uma saída do imóvel ou uma renegociação de valores para renovar o acordo e seguir em frente por mais um ciclo. A qualquer momento, você pode ser procurado pela imobiliária informando que precisará sair da casa ou propondo um aumento no aluguel para fechar um novo contrato (e esteja preparado, porque o céu é o limite).

É aí que sua vida pode virar de cabeça pra baixo. Mas, antes de perder noites de sono e acabar metendo os pés pelas mãos na hora do desespero, leve em consideração estes sete passos para sair dessa situação com todos os fios de cabelo no lugar:

1) Respire fundo

Calma. Não aceite de cara nenhuma proposta da imobiliária nem dê como certo que vai sair do seu tão querido lar por conta de aumento em valores com os quais você não concorde. Brigar com o corretor caso ache a proposta inicial absurda também está fora de cogitação. Neste momento, tudo que você precisa é manter a serenidade para enfrentar de modo racional todo o processo de negociação que vem pela frente. Peça um tempo (de alguns dias) para pensar e dar uma resposta.

2) Pesquise muito

Para entender se a nova proposta está condizente com a realidade do mercado imobiliário, você vai gastar bastante dedo, perna e gogó pesquisando as ofertas atuais. Verifique se há imóveis vagos no seu prédio, quais são os valores pedidos e se há margem para negociação. Na sequência, faça a mesma investigação no bairro e regiões vizinhas. Pode ser que você descubra bons negócios e tenha cartas na manga para não ter que se mudar para debaixo da ponte caso não chegue a um acordo razoável para permanecer no seu imóvel atual. Dica: sites e aplicativos de mercado imobiliário são práticos, mas não excluem a importância de olhar também outras fontes, como anúncios em jornal e placas em prédios, onde uma pechincha pode estar esperando por você.

3) Negocie como um adulto

Já munido de diversas referências do mercado, pense no valor que você está disposto e tem condições de pagar para conversar com sua imobiliária e fazer uma contraproposta. Além dos pontos observados em sua pesquisa, reúna todos os argumentos a seu favor como inquilino, como a boa relação na vigência do primeiro contrato, com pagamentos sempre em dia e boa conservação do imóvel. Normalmente, é do interesse da imobiliária manter o relacionamento com um bom pagador ao invés de ter um imóvel vazio por tempo indefinido e amargar prejuízos enquanto não houver um novo locatário – que sabe-se lá se terá a mesma postura que você. Mas se você pisou na bola durante o contrato, atrasando aluguéis e/ou destruindo o apê, lamento informar que neste ponto você está em desvantagem. Dignidade para honrar os compromissos é tudo, hein, gente?

4) Saiba que o tempo urge

Caso não seja possível entrar em um acordo para renovar o contrato, é hora de correr, porque, por lei, você tem 30 dias para picar a mula. Liste tudo que será preciso para deixar a casa em ordem no mesmo estado em que a recebeu, o que vai incluir pintura e eventuais reparos. Selecione os apês mais interessantes da sua pesquisa inicial e veja qual está aberto à melhor negociação para fechar negócio.

5) Lide com as burocracias

Com a escolha feita, providencie todos os documentos necessários para firmar o novo contrato. Comprovantes de renda equivalente a no mínimo três vezes o valor do aluguel, cópias de documentos pessoais e do fiador são alguns requerimentos básicos. Algumas imobiliárias tornam o processo mais complexo, exigindo certificados até da cor da cueca do vizinho do fiador, mas fique esperto e esteja ciente do que eles efetivamente podem solicitar.

6) Calcule o preço da mudança de ares

Infelizmente, esta mudança será diferente da que você fez quando saiu da casa dos seus pais com a ajuda da picape de um amigo. Agora você tem uma casa toda mobiliada com direito a eletrodomésticos, sofá, mesa de jantar e um tanto de breguetes inúteis que acumulou em alguns anos (use este momento para fazer uma faxina daquelas e separar o que pode ser doado, vendido ou jogado fora). É por isso que você deve (ou deveria) guardar aquele tantinho de salário todo mês para bancar estes e outros imprevistos malucos da vida… Na conta das despesas também devem entrar os custos de pintura e reparos no imóvel anterior. Agora, com a consciência mais leve, faça os orçamentos com empresas de mudanças e saiba que os preços podem variar muito! Uma indicação de empresa com bom custo x benefício já utilizada por um amigo pode poupar muitas dores de cabeça e uma boa grana. Para comparar preços, uma boa opção é o site Mudanças.Com, onde você solicita orçamentos para várias empresas de mudanças através de um formulário online.

7) Aproveite

Isso mesmo. Toda essa jornada deve causar um estresse daqueles, mas a boa notícia é que, quando tudo estiver resolvido, você poderá provar de novo aquele gostinho de começar uma vida diferente. Curta sua nova casa, capriche na decoração e saiba que uma mudança dessas pode ser uma oportunidade de frequentar outros lugares, conhecer vizinhos bacanas e por aí vai.

*Roberta Garattoni, tem 30 anos, é RP e mora em São Paulo.

10 dicas pra comer bem e gastar bem pouco

O blog Vegan Recipe Club fez uma lista que tem tudo a ver com isso e que não se aplica apenas a quem é vegano. São dicas muito boas, olha só!

1 – Planeje refeições feitas com o que sobrou na geladeira antes de ir às compras.

2 – Faça uma lista e seja firme com ela. Imponha a si mesmo um limite de gasto e leve dinheiro – deixe o cartão em casa. Assim, você fica menos tentado a comprar algo extra.

3 – Sempre cheque se o preço é por unidade ou por 100g. Nem toda “promoção” é vantajosa. Muitas vezes o “leve 2 pague 1” de uma marca sai mais caro que comprar 3 separados de uma marca diferente.

4 – Olhe a parte de baixo das prateleiras. Os mercados colocam os produtos mais caros e conhecidos na altura dos olhos. Os preços mais baixos geralmente estão escondidos.

5 – Tente usar marcas alternativas ao invés de marcas conhecidas – tente um produto de cada vez se estiver com medo. Você vai ver que muitos produtos similares têm o mesmo sabor e qualidade que marcas famosas.

6 – Se você compra coisas orgânicas, ande bastante: os preços variam muito de um lugar pro outro.

7 – Faça pratos do zero sempre que puder. Lavar e cozinhar feijões sempre sai mais barato que comprar feijão enlatado, por exemplo.

8 – Sopa é uma maneira nutritiva de aproveitar os vegetais no final da semana. Experimente vários legumes, adicione feijão ou lentilha, use vários temperos.

9 – Congele o que sobrar se tiver espaço no freezer. E coloque uma etiqueta com a data!

10 – Falando nisso, quando cozinhar, não tenha medo de fazer grandes quantidades e congelar. Ter prontos molhos para massas e hambúrgueres, por exemplo, ajuda a economizar energia em um dia muito corrido. Mesmo se você tiver um freezer pequeno, cozinhar o dobro de molho não vai ocupar muito espaço e vai te economizar tempo e dinheiro.

Aqui nesse link tem mais dicas!

5 motivos pra sair da casa dos pais logo!

Todo mundo fala que sair de casa é muito caro, mas eu acho que o problema é muito mais de coragem e cara de pau. Quem se deixa mimar se limita muito – e esses aninhos a mais de conforto podem se transformar em muita chateação no futuro. Então respire e fundo e pegue essa lista:

1 – Você não tem total liberdade e não é como se você morasse sozinho

Pare de mentir pra você mesmo. Nunca será. Nem se seu quarto tiver uma entrada separada e seus pais passarem o ano todo viajando. Morar com seus pais tira de você milhões de experiências – tanto as prazerosas quanto aquelas que vão te preparar muito para a vida adulta ou a dois. Quanto mais cedo você amadurecer, melhor. A regra é clara: quem não se esforça agora, terá que se esforçar muito mais depois. O caminho mais fácil é escolher o mais difícil mais cedo: assim vai sobrar tempo depois.

2 – Seus pais são um saco

Sim, você ama eles e tals, mas né? Toda vez que você estiver entediado em casa, pense no que você poderia estar fazendo apenas se eles não estivessem em casa. A lista é longa, não é? Agora imagine que essa lista (e muito mais) será seu dia normal morando sem eles! Isso sem falar na dispensa de obrigações familiares e no fim do controle de horários que você sai/chega.

3 – Não é tão caro assim

Uma coisa básica da vida adulta é saber administrar o seu dinheiro. E você nunca vai saber fazer bem isso se seu salário pagar só sua conta de celular. Alugar uma kitnetzinha ou dividir um apê com aquele amigão fica em conta, é só calcular e planejar.

4 – A vida real tá logo ali

Falando nisso: as pessoas que conheço que mais estão bem na vida são as que saíram de casa cedo. Não é uma regra isso, mas geralmente quando todas as contas caem na sua cabeça, isso te motiva a trabalhar melhor, não aceitar qualquer coisa e a crescer na carreira pra dar conta de tudo. Quando você vê, tá ganhando mais e num trabalho foda – e podendo aproveitar melhor suas horas em casa.

5 – Quem mora com os pais é broxante

Sorry. É normal morar com os pais quando você é adolescente, você depende deles. É ok morar com os pais durante a faculdade, seu foco é estudar. Mas passou disso, vai ficando complicado convencer os outros e engolir as desculpas. É uma questão muito mais cultural do que apenas financeira, mas acredite em mim: depois dos 25 anos, falar que mora com os pais num date conta pontos negativos no seu currículo. Você vai viver de motel e/ou pegação no carro até quando?

Enfim. Pelo menos é o que eu acho. Concorda?

Outra lista: as 5 melhores coisas de morar sozinho!

Apps que quebram o galho

Com certeza um desses vai facilitar pelo menos um pouco a sua vida :)

ORGANIZAÇÃO
No MoneyCare você coloca seu salário e despesas e consegue ir vendo onde precisa economizar. Já o Wunderlist ajuda a organizar todas as suas listas, desde o que comprar no mercado até que filmes ver.

Captura de Tela 2014-03-10 às 14.54.25

TRANSPORTE
Todo mundo já conhece aplicativos para pedir taxi, né? Meu favorito é 0 99Taxis. E no site preçodotaxi.com você pode calcular quanto vai dar.

Já o app Onde Está Meu Ônibus? ajuda a tomar a decisão de continuar esperando ou não pelo busão. E o Metrô de São Paulo tem um aplicativo também que ajuda bastante novatos nas linhas ou perdidos em geral (eu).

PETS
Você tem pets? O MyPets te ajuda a reunir todas as informações sobre ele que você vive esquecendo: vacinas já tomadas, telefone de pet-shop e do veterinário etc. Se você adotou e não sabe a raça do seu cão, o Dogs 360 te ajuda. Se você é uma cat person, o Meu Amigo Gato sugere os cuidados pra cada bichano.

pets

SONO
Quem sofre com barulho de vizinhos ou insônia, vai uma dica pessoal: chá de camomila e Relax Melodies: o app tem vários sons que você combina como quiser (um pouco de barulho de chuva, muita flauta e uma pitada de grilos, por exemplo :P) e bota pra tocar. Quando usar, deixe na tomada, pois ele gasta muita bateria.

TRABALHO
Quem tem scanner em casa em pleno 2014, não é mesmo? Ainda mais que existe o Cam Scanner, que transforma a foto daquele recibo em PDF e manda imprimir via wi-fi.

COMPRAS
E na hora de ir pro mercado: iList! Ah, e tem o Bondsy, que você pode botar pra vender tudo que já enjoou.

Captura de Tela 2014-03-10 às 15.05.46

Falando nisso, veja aqui 8 dicas para virar um ninja do iPhone!

Eletrodomésticos vampiros!

Captura de Tela 2014-01-29 às 18.55.38

Mesmo desligados, eletrodomésticos e eletrônicos consomem energia pelo simples fato de estarem na tomada.

Exemplos: 50% da energia usada por um aparelho de som é quando ele está em stand-by – e esse número pula para 61% quando falamos de telefones sem fio. É o que esse infográfico abaixo (em inglês) da empresa Castlegate Lights mostra.

Puxa tudo da tomada já!

Continuar lendo